segunda-feira, 7 de agosto de 2006

Amor crescente

Eu escrevo muito sobre o Caio, falo muito sobre o Caio, publico mil fotos do Caio. E este final de semana senti uma falta tremenda do Yuri. Ele foi passar dois dias em Gramado, com a madrinha. E saiu todo lampeiro, vaidoso, empolgado. Deu tchau para o Caio bem exibido: “o mano vai pra Gramado, tu não vai!”.

Eu sempre quis ter dois filhos (na verdade, queria três ou quatro, mas a realidade - $$$$ - me fez limitar essa escolha). Mas ao mesmo tempo tinha medo de ter um segundo filho: conseguiria eu amar tanto uma pessoa, como amo meu Yuri? Teria espaço no meu coração tão preenchido por esse amor crescente, intenso, perfeito?

E aí veio o Caio. E o amo imensamente, desde antes dele nascer. O amo loucamente desde o primeiro minuto que nossos olhares se cruzaram. O amo desesperadamente quando nossa única ligação se dava por mãos através de um acrílico.

E o Yuri? O Yuri continua a ser tudo. Mas o meu tudo hoje são dois. E não amo mais um do que outro. E não sei dizer qual o mais lindo, o mais esperto, o mais amoroso.

Ah, mas o Yuri... ele é um gato maravilhoso, inteligente, ligado em 220 volts 24 horas por dia. Quando engravidei do Caio, eu estava numa fase em que achava que estava perdendo o Yuri, porque ele não era mais um bebê. Mas seu crescimento é lindo e me enche de orgulho. Suas tiradas, sua conversa muitas vezes de igual para igual com a gente... Ele é cheio de planos, fala do futuro, de quando se formar, de quando casar e tiver filhos... E eu viajo nos seus sonhos, com a alegria de quem faz parte de tudo isso – da sua vida, das suas aspirações.

Demos, eu e o Sandro, vinte reais para ele gastar na sua viagem à Serra. Ele voltou com o dinheiro intacto e me justificou “é que estou planejando ir no cinema contigo”. Ah, o amor pelos filhos! Que sentimento crescente, que acompanha (e muitas vezes extravasa) o tamanho dos (ex) pitocos que pusemos no mundo! Que calor reconfortante, que emoção incomparável... Meu Yuri segue assim, crescendo lindo, sadio e muito amado. Luz da minha vida, a pessoinha que fez tudo adquirir um novo sentido, tornando tudo mais significativo, intenso e feliz!

9 comentários:

Isabella disse...

Ai, Dinha, você sempre consegue me emocionar. Como você escreve lindamente sobre seus filhos! Um grande beijo.

Ísis D'avila disse...

Lindo, lindo, lindo...
O Yuri e o teu texto.

Beijinhos!!!

Greice disse...

Lindo depoimento Dinha! Mas não fica fazendo invejinha não, você sabe que eu estou doidinha para tentar o 2o filho, né? hehehe..
Mas falando sério, nunca achei que fosse dividir o amor não, tendo 2 filhos. A atenção pode ser, o amor não dá para dividir, só multiplicar.
E quando penso em multiplicar por dois (ou três) o que eu sinto quando olho pra minha pequenininha, dá impressão que não vai caber!
beijos pra vc e pros seus príncipes.

Karin disse...

Dinha, concordo com tudo que você disse sobre seu lindo Yuri. Agora me diga uma coisa, o que este menino é charmoso, hein?

Grande beijo,

Aline disse...

Pois é... estes dias estava pensando nisto....
Sabe que não pretendo esperar muito, então estava pensando em como será qdo a Rafa tiver um irmãzinho (a)....se eu seria capaz de amar em dobro.... e tu só está me encorajando, cada vez mais!
Bjs
Aline

Bárbara (motherns) disse...

ai ai, um post brilhante pra um menino espetacular!!! isso não se faz amiga!!! rs
beijos

Alessandra disse...

Oi Dinha !!
Finalmente consegui encontrar alguem que passou pelo que to passando agora !
Tenho os mesmos sentimentos em relação ao João (que está crescendo muito depressa) e ao Caio (que ainda vai chegar, mas fico cheia de dúvidas ). Me sinto reconfortada em ver que as coisas vão ficar muito melhores depois, vão se ajeitando ...
Obrigada por este post !!
Beijos carinhosos !
Alessandra

Flávia disse...

Ei Dinha, simplesmente lindo seu texto e seu Yuri!
Eu tinha exatamente a mesma sensação que vc quando engravidei do Guto;o legal é que tudo fica bem depois que eles nascem, né?
Beijos!

Claudia Medeiros disse...

Uau, que menino mais charmoso, dinha! Parabéns!