quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Os dois cachorros

Um velho índio descreveu certa vez seus conflitos internos:
"Dentro de mim existem dois cachorros: um deles é cruel e mau; o outro é muito bom. Os dois estão sempre brigando."
Quando então lhe perguntaram qual dos dois cachorros ganharia a briga, o sábio índio parou, refletiu e respondeu:
"Aquele que eu alimento."

Amo este texto, que já conhecia há tempos, mas o recebi impresso durante a internação do Caio.
Então é assim. Os conflitos existem. Mas sempre vou alimentar o cão bom, aquele que tem humildade para reconhecer suas fraquezas, coragem para seguir adiante, amor para dar todos os dias (inclusive e especialmente nos maus) e fé para se manter na luta.

5 comentários:

Isa disse...

Dinha, eu acho que algumas vezes, na caminhada, a gente até alimenta o cachorro errado, sabe? Mas não tenho a mínima dúvida de qual sairá vencedor, quanto mais no seu caso.
Um beijo, queridíssima.

Grilinha disse...

Que lindo Dinha. Vou fixar. Bela história !

Um beijo

Anônimo disse...

Dinha, minha linda, minha querida! Saudades, saudades!

Andei passando por aqui sem comentar, mas como sempre fiquei muitíssimo emocionada com seus textos, principalmente o sobre sua mãe, lindo, lindo!

Esta parábola se encaixou como uma luva, acho que está na hora de parar de alimentar um cachorro!

Beijos

Lili

Jeoceli disse...

Dinha, ando meia sumida, mas sempre pensando muito e vcs e torcendo!
E vamos continuar alimentando somente as coisas boas né?!

Beijo no coração!

Chris disse...

Dinha, lindo texto!!!
Com certeza, às vezes nós até tendemos a alimentar o cão errado (e, sem dúvidas o fazemos), mas, com certeza, o cão "do bem" irá vencer.

Beijos