terça-feira, 4 de setembro de 2007

Desafio dos 7

Gosto desses "questionários" (putz, acabei de revelar minha idade com esta colocação... hehehe).
E também acho bacana que me conheçam melhor e eu possa fazer uma reflexão. Então, seguem 7 coisas sobre mim:

1. Meu nome: Cláudia Rejane Lacerda de Almeida. Minha mãe combinou previamente com meu pai que eu me chamaria Janaína ou Tatiana, ele bateria o martelo. Enquanto estávamos na maternidade, ele foi a cartório e me registrou como consta acima. Adoro Cláudia, mas detesto Rejane e achei a combinação péssima. Só assino o Lacerda, da minha mãe. Para os que me conheceram até uns 15 anos e para algumas primas do meu marido, sou a Cacau. Para os que me conheceram a partir do segundo grau (putz, reforcei minha idade de novo!) sou a Dinha, diminutivo de Claudinha.

2. Minhas origens: Nasci numa família pobre. Mãe faxineira (diarista), pai cobrador de ônibus. Na minha primeira infância, carne e leite eram luxos no máximo semanais. Passamos muita necessidade por conta do meu pai que era alcólatra, batia muito na minha mãe e gastava todos os seus ganhos com o vício. Aos 5 anos fui adotada por uma família de classe alta, mas sempre mantive o contato com minha mãe e meu único irmão. Meu pai nos abandonou naquela época e eu só voltei a vê-lo 25 anos depois, no enterro do meu mano. Guardo muita mágoa dele por isso.
O sofrimento que tive na infância, conhecer a pobreza e a riqueza, me tornaram uma boa pessoa - acho. Luto para que meus filhos não vivenciem o que eu passei, mas saibam dar o devido valor às coisas. E sei na carne que o importante é o que se é e não o que se tem.

3. Minha formação: Aprendi a ler e escrever sozinha, ainda aos 5 anos, brincando com gibis. Um ano depois, quando entrei na escola, tive minha poesia "Minha professora não tem sucessora" eleita pela Direção para uma homenagem ao Dia do Professor. Ali, decidi o que queria fazer na vida - escrever. Fiz faculdade de Comunicação, da UFRGS, Publicidade e Propaganda. Sou redatora numa agência, mas acho que deveria mesmo é ter feito jornalismo. Fui a primeira pessoa da minha família a ter um diploma universitário e me orgulho disso. Não porque me ache melhor do que alguém, mas porque depois de mim vieram outras e outras Lacerdas - as mulheres de minha família são fantásticas - a se graduarem. Sonho em escrever um livro e já decidi que não deixo esta vida antes de concluir este propósito.

4. Minhas manias: Sou extremamente organizada, crítica e detesto quando as coisas saem diferente do planejado. Não saio de casa sem arrumar a cama e lavar a louça. Adoro comer pipoca. Odeio acordar cedo. Rôo unhas quando fico nervosa. Sou chorona. Adoro seriados de TV, especialmente os policiais. Adoro comprar livros e DVDs e gostaria de ter mais dinheiro pra isso. Gosto de ouvir música, desde que não seja muito alta. Gosto de dançar, embora não saiba. Tenho um pouco de claustrofobia.

5. Meus medos: Tenho medo de morrer e de deixar meus filhos desamparados. Espero que minha trajetória por aqui só termine quando eles forem adultos. Tenho medo da velhice porque não quero que meus sonhos envelheçam. Tenho medo de perder pessoas queridas. A morte do meu irmão foi a maior dor que já passei nesta vida. Tenho medo de pessoas embriagadas, de dirigir e de quase tudo que é tipo de inseto.

6. Minha família: Sempre sonhei em ter minha própria família. Até teve uma época na adolescência que pensei em não casar nem ter filhos, mas irônicamente, fui a primeira entre minhas amigas a fazê-lo. Beijei muito na adolescência, mas namorados "efetivos" tive raros. O Sandro foi um deles e ficou até hoje, 15 anos depois. Amo ele "apesar de" e não "por causa de" e assim acredito que vamos envelhecer juntos. Meus filhos são meu tudo. É por eles que vivo, sonho, trabalho, respiro. Por eles, engulo sapos e viro uma leoa. Se me pedissem para defini-los numa única palavra, não seria amor, mas plenitude. Porque através deles vivo os mais completos e intensos sentimentos e experiências de vida.

7. Minha fé: Já freqüentei igreja luterana, mormón e centro espírita; embora não pratique nenhuma religião específica. Leio a Bíblia. Aprendi nos últimos anos que Deus é meu grande amigo e tenho longas conversas com Ele. Falo Dele o tempo todo. Ouvi dia desses uma entrevista em que diziam "Quem tem Deus no coração, tem religião". Acho que é isto. Todos devemos perceber e saber que é verdadeiro, se não a entidade, o poder transformador que existe dentro de nós, quando amamos e acreditamos.

E agora, para seguir a brincadeira, devo passar o desafio adiante. Acho que todas as minhas amigas já fizeram, mas adoraria saber mais sobre a Grilinha (vocês deveriam conhecer esta mãe e mulher maravilhosa), a Fernanda de POA e quem mais se inspirar.

11 comentários:

Isabella disse...

Dinha, que delícia! Vim correndo ver e amei te conhecer mais um pouquinho. Beijo grande prá você.

Valéria disse...

Esta de questionários é do meu tempo também! hehehe
Aliás, alguns setimentos teus também são meus e, acredito, de muitas outras mulheres...
bjs

Carol disse...

Nossa Dinha!
Que lindo seu depoimento...me emocionei muito com sua história de vida.
Parabéns pela pessoa maravilhosa que vc é.Bjs

Flávia disse...

Dinha, muito legal saber de mais detalhes sobre você! Muito interessante sua história de vida.
Beijos!

Bianca disse...

Dinha, cada dia mais a minha admiração e vontade de te abraçar aumentam!!! Linda história de vida, linda vc., lindos os meninos!!!
Eu já disse que te amo???
beijosssssss

Grilinha disse...

Que bom conhecer-te melhor amiga. E quanto gostei !
Vou fazer, sim. Que honra , meu Deus ! Será meu próximo Post ! Beijinhos "envergonhados"

greice disse...

Dinha, lindo seu post, como tinha de ser pra uma pessoa com uma vida tão linda. Tão cheia de superações e de amor...
Eu sempre visito a grilinha, e a admiro demais também!
beijos!!

Daniela disse...

Adorei ler esse post, mas eu já sabia que isso ia acontecer. Sua história já é impressionante se a gente souber só da parte mais recente, quanto mais indo fundo no passado.
Fico feliz de ter conhecido uma mulher forte e lutadora como vc.
Ah, e eu conheço outra Claudia Rejane (acho que ela é Rejani), trabalhei com uma!
Beijão!

Bárbara (motherns) disse...

Dinha, vc consegue ser mais maravilhosa ainda respondendo "questionários" (que tbm são do meu tempo!). Te adoro muito. E sabe que passo hoooras do meu dia pensando em vc e Caíto aqui em casa, o que a gente pode aprontar, as meninas todas aqui pra te abraçar, as risadas que a gente vai dar junto, o Caio que vou amassar moooito, nossos dois príncipes assistindo Cocoricó junto (o Theo vai ensinar todas as danças pro Caio, viu?!) ai ai, marca logo essa consulta mulher...
Beijos

Néa e Arthur disse...

Oi Dinha,acompanho o blog da Let´cia, da Grilinha e hoje vim espiar o seu ...nossa fiquei emocionada com a sua estória!Parabéns pela pessoa em que se transformou que Deus ilumine sempre o seu caminho!!!!!!!!!!!!!
Se quizer me conhecer melhor meu email é : neavalone@hotmail.com e o meu orkut é Néa e Arthur Valone será um prazer ter sua amizade!

Um beijo

Lili disse...

Adorei conhecer um pouco mais da minha ídala e não poderia deixar de ser VOCÊ que até mesmo ao responder um questionário consegue emocionar a todos

Beijos.