sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Escolhendo novos caminhos

Caio vai fazer 6 anos no próximo 2011.
Definitivamente, está na hora de procurar uma escola.
Este é um assunto que me ronda já uns dois anos. Ora com apreensão, ora com empolgação. Mas agora fui "intimada" por alguns profissionais que acompanham o Caio na ACADEF. Sim, está na hora.
Mas aquilo que me parecia líquido e certo agora virou um mar de dúvidas. Escola regular? Escola especial? Qual o melhor caminho para oportunizar ao meu filhote mais chances de desenvolvimento, interação, socialização?
Para quem está de fora, a resposta parece óbvia. Mas não é.
Como mãe, sonhava em colocá-lo numa escola regular, para que junto de crianças "normais" ele talvez desenvolva seu melhor potencial. Mas, confesso, tenho medo. Medo do preconceito que ele sofrerá (ainda que eu saiba que nunca poderei protegê-lo 100%), medo se ele estará bem assistido, medo até mesmo de maus tratos - a gente lê e vê tanta coisa né? Tenho medo, principalmente, do despreparo das escolas e escrevo isso sem nenhuma crítica específica. Nossa sociedade não é capacitada para acolher o deficiente em sua plenitude.
A indicação da fonoaudióloga que o acompanha, opinião compartilhada pela chefe da fisioterapia pediátrica da ACADEF, é que tentemos uma escola regular. Acham que Caio tem um bom cognitivo e que o convívio numa instituição regular pode fazer com ele se esforce para evoluir ainda mais. Tenho, inclusive, duas boas indicações de escolas do município que estariam aptas a recebê-lo, que têm demonstrado na prática uma real política inclusiva, disponibilizando monitores individuais para a criança PPD ao mesmo tempo que a mantém em sala de aula junto aos demais alunos de sua faixa etária.
Eu gostaria muito que ele pudesse frequentar a mesma escola que o Yuri. Num primeiro momento, aceitariam o Caio. Mas preciso ser realista. Não acho que, por mais boa vontade que tenham (e têm, sei disso), eles estejam preparados para um aluno cadeirante que sequer fala.
Nos últimos dias, pesquisando e conversando muito à respeito, fiquei sabendo do CEIA - Centro de Capacitação, Educação Inclusiva e Acessibilidade, aqui mesmo, em Canoas. É uma educação multidisciplinar, voltadas a portadores das mais diversas deficiências, com foco na estimulação pelas artes, pela música, pela inclusão digital, pelos esportes. Com acompanhamento de profissionais da área neuropediátrica e atividades de psicopedagogia para a descoberta de competências e psicomotricidade. Assim, de orelhada, me parece o lugar ideal para o Caio.
Como tudo que envolve o universo dos portadores de deficiência, o desconhecimento, a falta de informação é sempre a maior barreira. Aqui em Canoas, eu só sei da APAE, que dá "aulas" a deficientes. Pesquisando, xeretando e perguntando, cheguei ao Pestalozzi e ao CEIA. Semana que vem vou me deter a visitar essas instituições e conhecer melhor seus projetos, para ver onde Caio poderá ficar melhor inserido.
Ainda não desisti de ver meu filho na faculdade. Sei que é um sonho gigante. Caio ainda não fala. Não apresenta coordenação motora para escrever. Assumir que, num primeiro momento, uma escola especial é o mais adequado, tem uma porção dolorosa para mim. É mais uma vez confrontar as limitação que eu sei que meu filho tem. Mas, ao mesmo tempo, a mãe bipolar aqui fica feliz. Acho que podemos encontrar um bom caminho. Ainda não falei com a equipe que já acompanha o Caio, primeiro vou fazer essas visitas. Imagino que talvez em 2011 ele inicie numa escola especial. E, quem sabe, conforme seu rendimento, a escola regular fique para 2012. Talvez exista a possibilidade de conciliar as duas já para o próximo ano. Veremos, vou atrás.
De qualquer forma, novos e desafiadores caminhos se descortinam pra gente. Tomara que possamos fazer a melhor escolha.

2 comentários:

Luciana Pessanha disse...

Dinha querida, que momento bom! Saberá escolher!
Quero lembrar minha admiração pela pessoa maravilhosa que você é!
Beijos nos meninos

Beijos

Biih Dias disse...

Com sua sabedoria materna saberá fazer a melhor escolha para seu guerreiro Caio. Ele é esperto e forte passará muito bem por mais esse desafio.
Bjs pra vc e seus filhotes.