terça-feira, 15 de setembro de 2009

Um amanhã que não virá

Oi mano.
Espero que estejas bem, apesar da minha saudade que, tenho medo, possa estar te atordoando.
Acho tão difícil falar em luto com as pessoas, porque apesar de todas as minhas crenças, dói muito ver que a vida está passando e que eu não te tenho aqui do meu lado.
Esses tempos eu tava pensando quão egoísta eu sou, porque andei lembrando muito de ti em tempos difíceis que tenho vivido aqui... eu e o sobrinho que não chegastes a conhecer. Do quanto me sinto só e até mesmo incompreendida "pelo mundo". Porque tenho certeza de sempre poder contar com teu abraço tão reconfortador...
Daí que semana passada nossa família aumentou... uma prima muito querida teve uma linda filhinha. E a irmã dela me fala que nunca tinha imaginado que era tão bom ser tia...
Ser tia... Aí está mais uma coisa que descobri que não vou viver, que não vou saber o que é.
Tua partida tão precoce me levou parte de uma alegria que é impossível existir sem a tua presença física, mas, descobri, levou também experiências que jamais acontecerão.
Penso no Caio, no tio maravilhoso que serias pra ele, como foste, em tão pouco tempo de convívio, para o Yuri...
Lembro que me entristeço por tudo aquilo que foi tirado de mim e do Caio, de situações que jamais poderemos viver... ainda que ele venha a ter uma reabilitação fantástica no futuro... são momentos e experiências que não poderão ser devolvidos. Mas temos o futuro. Temos meus sonhos e nossa luta para, ao menos, tentar...
De ti, vejo que não tenho mais um amanhã. Dói saber que certas emoções não poderão ser compartilhadas. Temos apenas o passado. Aquilo que vivemos tão intensamente e de forma tão pura. Um amor que nasceu com a gente e fica pra sempre.
E isso me resta como único, mas contraditóriamente imenso, alento...
Meu amor por ti é pra sempre.
Mais forte do que a própria vida.
Intenso como se hoje não fizesse 8 anos de tua ausência...
Porque eu sei, como poucas pessoas podem saber, que daqui de dentro do meu coração tu nunca sairás.
Saudades. Amor. Sempre.
Tua gorda.

2 comentários:

disse...

Que post lindo Dinha! Que o sentimento seja cada vez menos doloroso, se é que isso é possível. Bjão

Val disse...

achei lindo o texto, tomara que a saudade doa cada vez menos. bjs em vcs!