sábado, 5 de setembro de 2009

Divagações de um coração desassossegado

Eu tinha escrito uns outros posts, sobre boas novas do Caio e outras amenidades.
Mas hoje não poderei publicá-los.

Meu coração está outra vez em desassossego.

Caio teve uma nova convulsão hoje pela manhã, logo após acordar.
Os mais práticos dirão que não há nenhuma novidade nisso, que é inerente a seu quadro neurológico.
Mas, como sempre digo, pro meu coração de mãe, nunca é simples.

Fomos de ambulância até o HPS de Canoas.
Ele foi bem atendido, tudo certo. Recebemos alta na metade da tarde.
Em princípio parece que a causa foram os vômitos dos últimos dias, que não deixaram ele absorver corretamente os anticonvulsivantes.

Mas devo dizer que a experiência com as convulsões, embora tenham se tornado frequentes no último ano, não faz de mim uma mãe mais tranquila.
Antes, pelo contrário, acho que me sinto mais fraca, mais medrosa... e com uma certa revolta também.

Chorei muito ao me ver mais uma vez numa sala de espera de uma emergência.
Choro de medo de que possa surgir alguma complicação e eu venha a perder o meu filho tão amado.
Choro de tristeza por ter que assistir, impotente, os sofrimentos e as lutas, que nestes momentos, são só dele.
Choro de incompreensão, temporariamente abandonada por minha fé, e me pergunto repetidamente: por quê conosco?

E me cobro, me envergonho de me sentir assim.
De não ter, nessas horas, a força que eu tanto quero ter, que tanto acredito ter, proporcional ao amor gigante pelo meu Caio.

Gostaria que nossa rotina não fosse essa.
Alguma outra mãe pensaria diferente?
E ao mesmo tempo, me pergunto se eu teria crescido tanto se não tivesse a rica e abençoada experiência de ser a mãe desse guerreiro...

Lá no fundo, ainda tenho certeza de que fomos escolhidos, de que nos escolhemos e de que está tudo sendo conforme o combinado com Ele.

Mas hoje, neste instante, estou cansada de tudo isso.

2 comentários:

Luciana Pessanha disse...

Ah amiga, ninguém pode julgar, só você sabe o quanto é difícil ver seu filho amado sofrendo. Sou sua admiradora, é sensível, forte, verdadeira. Receba força. Estou aqui e oro por vocês. Beijos e afeto

Val disse...

Dinha, sempre que me pego pensando em vc, me ponho no seu lugar e imagino o quão confusos devem ser teus sentimentos de mãe. Mas não perca a fé, pq ela te move para a frente, e o Caio também. O ritmo dele é este. Será que me fiz entender ou ficou confuso? bj