sexta-feira, 18 de abril de 2008

No colo do irmão

O Caio ama estar no colo do Yuri. E o Yuri fica "se achando" quando segura o Caio. Um, sente-se querido, amado, protegido, interagindo. O outro se sente forte, confiável, grande, parceiro.
A maioria das pessoas é contra o Yuri segurar o Caio, dançar com ele, caminhar com ele no colo. Alegam que o Yuri pode não segurar direito, que o Caio pode jogar-se pra trás, se desequilibrar.
Aposto no amor e na vontade dos dois. São ambos que se realizam quando este encontro acontece.
Esta semana vi uma versão, até então impensada pra mim. Vi, num restaurante, a cena oposta: um menino com paralisia cerebral, numa cadeira de rodas, segurando a irmãzinha mais nova. As mãozinhas fechadas e em concha se entrelaçavam na cintura da pequena saltitante. E vi nos olhos dos dois a mesma alegria e cumplicidade que vejo nos olhos de meus filhos.
Essa cena aparentemente tão simples me fez repensar no conceito das coisas. Sobre a capacidade do portador de PC de ajudar, ser útil (afinal a mãe das crianças no restaurante, servia seu prato no buffet enquanto as coisas aconteciam normalmente - o filho mais velho cuidando do mais novo). Sobre a relação de entrega que existe entre irmãos. O Caio se entrega ao colo do mano. A pequena menina se entrega aos braços motoramente descoordenados mas cheios de afeto do irmão mais velho. Pensei no quanto o amor pode realmente derrubar barreiras, fazendo-as inexistentes.
Um colo, um carinho, a aceitação. A melhor terapia do mundo.
Que ela possa estar ao alcance do Caio, do irmão mais velho que vi no restaurante e de todas as pessoas do mundo. Porque realmente não existe melhor remédio do que aquele que afaga a alma, embalado pela solidariedade e pelo afeto.

4 comentários:

Grilinha disse...

Um colo é maravilhoso ! E cada um é diferente. O da mãe diferente do do Pai e dos avós...o do mano é fantástico, especialmente nessa altura, mas depois também pela vida fora.

Um colinho daqui para aí !

Luciana Pessanha Pires disse...

Linda essa relação entre Yuri e Caio, minha querida! Ambos estão lindos e muito bem cuidados. Você é uma mãe excelente.
Beijo e afeto

Cacá disse...

Que coisa mais linda, Dinha. Tô aqui emocionada com tanto amor e carinho. :)
Parabéns pelos seus tesouros.
Beijocas.

Chris, mãe da Cecília disse...

Dinha, como disse em um post há algumas semanas, o amor pode tudo.


Beijos gigantes