quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Milhões unidos no besteirol

Eu prometi pra mim mesma que não ia me manifestar sobre o Big Brother Brasil. Porque em suas oitava edição, o reality show conquistou adeptos que, a meu ver, elevam o programa à categoria futebol-política-religião. É melhor não se discutir a respeito. Mas o que vi ontem não consigo deixar passar.
Estava eu zapeando entre os canais de TV quando, ao passar pela Globo, assisti Pedro Bial dizendo: "estamos chegando aos 25 milhões de votos". Na hora, passei adiante até encontrar uma programação do meu agrado. Mas depois parei pra pensar. Como assim 25 milhões de votos?
Tanto se fala que o povo brasileiro é acomodado, não se mobiliza, não luta, não é solidário... Acho que estão todos errados. Afinal, pelo menos 25 milhões de atenções foram dispensadas. Para quem? Ao eliminado da semana!
Ah, isso sim é importante!
Ainda esta semana, final do dia, eu voltando pra casa, num trajeto de ônibus que dura aproximadamente 45 minutos. Atrás de mim, uma jovem e um senhor conversavam animadamente. Por pelo menos 30 minutos o assunto foi o BBB, as intrigas, os namoros, os participantes favoritos. Lá pelas tantas, o senhor muda radicalmente o rumo da conversa. "E as aulas da tua menina já recomeçaram?". "Não, ia ser dia 11 de fevereiro, depois dia 20... agora parece que vai começar só em março". "Ah é? O que aconteceu?". "Ah, nem sei direito."
?????!!!!! Como assim? A moça sabe tudo sobre o anjo, o líder, a votação pro paredão e não sabe por que as aulas da filha estão sendo adiadas? Isso, meus senhores e senhoras, é a famosa alienação.
Não condeno quem encontre no programa momentos de lazer, todos precisamos de uma pitada de cultura inútil vez ou outra. Não assisto Big Brother, mas também perco meu tempo com bobices televisivas. Cada um com seu gosto.
O que não aceito são 25 milhões de pessoas gastanto seus telefones e pagando impostos por uma bobagem tão grande. Ou parando no meio do trabalho pra votar no eliminado. Não vejo estes esforços para derrubar taxas abusivas. Não percebo tamanha movimentação para barrar leis esdrúxulas no Congresso. Se 25 milhões de eleitores levassem seu voto tão a sério quanto num paredão do BBB, poderíamos ser poupados da presença de Clodovil Hernandéz em Brasília, por exemplo.
Mas este, não é um problema do Brasil. É de cada um de nós e de nossas escolhas.

4 comentários:

Anônimo disse...

parabéns pelo comentário.
acho que daria até uma tese, seria interessante investigar por que isso ocorre... abs vally

Dani Paulino disse...

Dinha eu também fiquei abismada qdo ouvi 25 milhoes de votos! E aqui no escritorio noa é diferente do q vc descreveu não. Ontem qdo entrei na internet e li sobre a renúncia do fidel fiquei estarrecida ao perceber qu meu office-boy de 19 anos não sabia de que país ele é! mas hj de manha sabia todos os detalhes da eliminação de ontem...

Bárbara e Ellen disse...

É isso mesmo Dinha...
É a cultura inutil reunando no nosso pais... Claro, um programa desse só sobrevive em país de 3º mundo... Pensei o mesmo que vc, não vou me manifestar a respeito, mas numa dessas, é fod@...
Enfim... Essa mãe deveria ver o BBB que rola na casa dela ao invés de ver só porcaria na tv...
Bjks!!!
Amei o post!!!

Will disse...

Acho que perdi a noção do tempo. Escrevi esse texto e não lembro!

Concordo plenamente com o que diz.
São eleitos também Collor's, Maluf's e ACM's.

Tomara que o próximo ganhador do BBB resolva os problemas que essas pessoas têm e reclamam apenas ao vento.

Torço realmente para isso!!!


Quem é líder do BBB?
Quem é presidente da câmara?

Com essas respotas...descobrimos o porquê da merda que vivemos!!

Muito bom o post