quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007

O que vale na vida

Ontem o dia foi uma m#@%! Profissionalmente, pessoalmente, “familiarmente”. Cheguei em casa exaurida, com dor de cabeça, querendo que o mundo acabasse. Mas aí alguém, de pouco mais de 1,20m de altura, me deu um beijo delicioso, quentinho e fofinho igualzinho a ele mesmo. E outro alguém, com humildes 87 centímetros, sorriu demonstrando todo o seu contentamento pela minha chegada e disse “A mamãe”.

A fisioterapeuta do Caio estava de férias nas últimas 4 semanas, estávamos com uma substituta (muito bacana e competente, por sinal). Daí que hoje, na segunda sessão do seu retorno, a Thaís me comenta o quanto o Caio evoluiu em tonicidade muscular e coordenação motora neste período. Eu noto sim, mas não na grandeza que ela comenta.

Ótimos exames de controle do Caio, que também vive um bom período imunológico (mais de 45 dias sem febres, nem antibióticos, nem dores desconhecidas), uma importante evolução de desenvolvimento. O carinho quente e reconfortante dos meus dois filhos.

É, a vida pode ser boa.
O resto é apenas isto: o que sobra (e nem sempre importa tanto assim).

5 comentários:

Grilinha disse...

Amiga

Senti o abraço e o calor dessa casa...sim, somos RICAS quando amamos assim e temos junto de nós as pessoas que mais queremos. O resto...são os entretantos. Um beijo, querida.

Renata disse...

Dinha querida, vc tem uma família lindíssima e com certeza isso que é vida, o resto... bem, o resto é resto.
Beijos

Isabella disse...

Sem dúvida a vida pode ser, e é, boa, né, Dinha? Um grande beijo.

Greice disse...

dinha, realmente um beijinho quente de uma boquinha tão pequenininha pode salvar um dia todo, né? bomdemais.
beijos, bom feriado e descanse, tá bom?

Bárbara (motherns) disse...

O amor das pessoas que a gente mais ama sempre faz com que nosso dia acabe bem!!
Um beijo pra vcs todos!!