quarta-feira, 29 de novembro de 2006

O verdadeiro amor incondicional

A Márcia Gomes (ou POA, no LV), que amo de paixão, me deu uma dica bem legal e eu virei fã absoluta de um blog de uma mãe de gêmeos, nascidos prematuros e considerados portadores de PC – paralisia cerebral. A Letícia vive na Inglaterra há mais de um ano e passa em seu blog tudo sobre Educação Condutiva, um método maravilhoso sobre estimulação e o desenvolvimento dessas crianças. Ali, além das fantásticas teorias e métodos de como lidar melhor com portadores de PC, a Letícia consegue expressar maravilhosamente o sentimento que pais e mães de crianças com dificuldade de desenvolvimento (exatamente como o meu guerreiro Caio) têm algumas vezes. Cair não significa demérito ou falta de amor, nestes casos. Antes, pelo contrário, é a mais pura manifestação de humanidade de quem luta bravamente ao lado dos seus filhos. Esta semana ela postou um texto que adorei, porque é assim que sinto em relação ao Caio. E concordo em gênero, número e grau, quando ela diz que se ele fosse diferente, não seria o filho que conheço (e amo loucamente).

Na condição que eles são

Hoje pela manhã o Andy, pai do Thomas, veio se abrir comigo, disse que estava estressado, chateado e triste com a vida. Não conseguia ver o filho dele na condição que é e estar sempre em paz consigo mesmo. Me perguntou qual era o segredo que eu e meu marido temos, de estar sempre muito felizes.

Andy estava muito chateado com o desenvolvimento de seu filho e me confidenciou que vê ele como duas crianças: uma que é ele, o adorável Thomas, e outra que é uma chamada paralisia cerebral que está de mãos dadas com ele, e que está sempre o arrastando para trás. Ele tenta ir adiante, mas a outra criança não deixa.

Tenho meus piores dias, mas nunca tento ver os meus filhos como eles deveriam ser. Eles são assim, nesta condição. Se eles sempre choram quando chega uma visita, é porque eles ainda são imaturos para entender o contexto social. Se ele ainda acorda muitas vezes durante a noite, é porquê ainda não atingiu a maturidade suficiente para relaxar e recuperar seu dia de trabalho. Se ele sempre olha para o lado esquerdo quando deveria olhar para frente, é porque esta é a condição dele. Se eles fizessem algo diferente do que espero, então não seriam os meus filhos que conheço.

Tudo isso disse ao Andy, pois não significa que eles serão sempre assim, mas hoje é assim e é desta forma que devemos enxergá-los.

Extraído com a devida autorização do blog Educação Condutiva - Com Amor: www.educacaocondutiva.blogspot.com

7 comentários:

Roseh disse...

Dinha adorei o texto, é lindo...
Só me fez te admirar ainda mais...
Um beijo no seu coração.

Gabi disse...

Realmente, o blog da Lê é fantástico, sou prima dela, e a admiro demais por tudo que ela faz pelos meninos, que são muito amados por todos nós.
Parabéns pelo teu blog também,
Um beijo
Gabi

Flávia disse...

Oi Dinha,
Fiquei sabendo que o Caio está meio doentinho, e espero de coração que tudo saia bem como sempre, viu?
Beijos!

Greice disse...

Dinha, este pensamento deveria ser de TODOS os pais, não só dos que tem filhos com qualquer tipo de problema, não é? Amar o filho pelo que ele é, independente do que queremos que ele seja. Sei que a situação é diferente, mas eu sempre falei que queria uma filha meiga, delicada, bem mocinha. E me veio uma moleca que de delicada não tem, e pelo jeito não vai ter nada. E eu a amo desesperadamente ainda assim, e só espero poder continar amando-a em todos os traços de personalidade que ela ainda vai me mostrar. Quando se tem um filho com PC ou qualquer outro problema, o conceito tem que ser este mesmo, só que as dificuldades para por isso em prática para algumas pessoas é ainda maior.
Eu poderia ir ainda mais longe, e dizer que não só os pais, mas todas as pessoas deveriam se aceitar e se amar como são, independente do que poderia/gostariam que fossem;
Beijos querida, e dê notícias do Caio, ok?

Andressa disse...

Dinha,

Vc é uma guerreira MESMO. Tenha certeza que tanto amor e dedicação não passam despercebidos.
Desejo-te muita força e muita luz pra continuar nesta tua jornada terrena.
beijo carinhoso!

LeticiaBúrigoTK-1288 disse...

Dinha que amor o seu sentimento! Obrigada por nçao me deixar no 'vazio'! Como posso ...não é mesmo! Todas nós cheias de moção pra compartilhar! ;)

Anônimo disse...

Oi Dinha!!
Sou irmá da Letícia e tô achando esse blog de vcs demais!!! Parabéns super mães!!!!
Silvia