segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Perdi a virgindade

Foi numa madrugada, nos ultimos dias de 2007. Eu, brasileira, 35 anos, casada, dois filhos, deixei de ser virgem: fui assaltada. Eu, que me incluía numa minoria que jamais tinha passado por esta violência. Três marginais mascarados invadiram nossa casa na praia. Durante três intermináveis horas nos apavoraram sob a mira de revólveres, ironizando nossa melhor condição financeira, que eles eram pobres coitados que precisavam roubar e que nós éramos riquinhos em férias.

Roubaram-nos tudo: roupas, dinheiro, jóias - minha aliança de casamento, a corrente de ouro com meus dois meninos em pigente, um relógio recém ganho do marido de Natal - celulares, máquina digital (adeus fotinhos constantes aqui no blog). Roubaram inclusive o perfuminho do Yuri, um repelente manipulado do Caio. Levaram shampoos, bebidas, bombons das crianças, TV, DVD, microondas e até o carro da minha cunhada. Mas roubaram algo muito mais valioso: nossa dignidade, nossa tranqüilidade. E isto não se recupera assim tão fácil.
As crianças, sob a proteção de seus anjos da guarda, não acordaram e os bandidos não mexeram com elas.
Olharam o bebê conforto do Caio, que usamos como cadeira pra ele assistir TV ou apenas ficar sentadinho. Pedi pra não levaremm que o menino precisava muito dele. Ao que um dos ladrões debochou: "deficiente sou eu dona, que não tiro férias". Que nojo!
Meu marido, que é cardíaco, perdeu a consciência. E eu pensei que o tinha perdido. Foi pelo estado dele que os ladrões resolveram ir embora, não sem antes nos amarrar.

E é assim que me sinto desde aquela madrugada: amarrada, impotente, invadida.

Mas sabem o que mais me deixa com raiva? O fato de precisar agradecer à Deus porque estamos vivos, que ninguém se machucou. Concordo, estamos bem, unidos, prontos pra batalhar pra conquistar tudo outra vez. Mas vai demorar, afinal a vida não é fácil assim não. E não aceito que entrem desse modo em nossas vidas, que nos humilhem, que nos tomem o que lutamos para ter. Não aceito que apontem uma arma para minha cabeça e me encham de medo. Acima de tudo, não aceito que seja assim mesmo e que agora eu faça parte de uma grande estatística nacional.

Não sou mais virgem. E devo dizer que doeu e ainda dói muito. Não sou mais uma adolescente sonhando em viver um romance cheio de emoções. Sou uma brasileira acuada, descrente na justiça dos homens, cheia de revolta e indignação. E sofro mais ainda ao me perguntar: quantos mais ainda? Até quando?

15 comentários:

disse...

Dinha, concordo plenamente com você. E não há condição social que justifique crueldades como essas. Torço apenas para que 2008 seja de muito sucesso e permita a vocês reconquistarem boa parte dos bens materiais. Porque a virgindade, essa foi mesmo perdida para sempre. Beijo grande nas crianças e um abraço bem caloroso em você

Dani, de Camps disse...

Querida, só dá para praguejar: que merda! Quanta sacanagem! E agradecer por vocês e as crianças não terem sido mais maltratados do que foram. Agora é trabalhar para recuperar o que se perdeu. Força, amiga!

R... disse...

Meu Deus Dinha, eu nunca pude imaginar que isso tivesse acontecido. Imagino a revolta, a sensação de humilhação de vocês e o medo de acontecer alguma coisa. Ainda bem que as crianças não acordaram e não viram nada, mesmo assim tudo é tão horrível que nem sei o que dizer. Medo, revolta, tristeza...
Um beijo no coração de todos vocês,

Eva disse...

Ai, Dinha que horrível! Doeu em mim.
Que tristeza. Não sei o que te dizer para consolar porque eu mesma ando muito discrente.
Tenho medo, a verdade é essa. Medo do futuro que meu filho vai encontrar.
Espero que você fique bem.

Dri&Mari disse...

Dinha... concordo muito com o que a Eva disse, doeu em mim... Que situação horrível, meu Deus... Eu sei o qto a gente precisa lutar pra ter as coisas e vem uns, nem sei que palavra usar, achando que são tão pobres coitados e tiram o pouco que temos e que lutamos pra ter... Fico inconformada!


Masss... que bom que as crianças não acordaram, ficaram fora dessa situação terrível. Força viu Dinha, com certeza, vcs conseguirão tudinho de volta, pois a maior riqueza que temos na vida vc tem de sobra, amor e coragem pra batalhar sempre, seja qual for a situação. Um beijão.

rose disse...

Querida! Força na peruca, porque a justiça dos homens está decadente, mas você sabe que a de Deus não falha!
E você conseguirá tudo de volta, pois Ele é contigo!
Beijos

Andressa disse...

Dinha, estou passada com tanta violência. Te entendo na tua revolta e não me envergonho nem um pouco em dizer que detesto este país. Estou cansada e de saco cheio de ter que assistir o jornal todos os dias e me conformar com migalhas quando pagamos tantos impostos pro governo. Se eu pudesse ia embora MESMO.
Espero que 2008 traga de volta os bens materias perdidos e que traga paz aos corações de vocês.
beijo grande.

Anônimo disse...

Dinha , estou indignada junto com você!!!Também fui roubada na praia no dia 24/12 , mas a sua história é muito pior que a minha!Ter a casa invadida e ser humilhada!!!Concordo com a Dê , de que não há condição social que justifique as atitudes destes marginais!!!Mas agora , é agradecer por nenhum de vocês terem sofrido agressões mais sérias e bola pra frente!!!Beijos mil e um feliz 2008!!!Daniela de Floripa

marcinha disse...

caramba Dinha...
to passada, se em mim deu uma sensação horrivel só de ler, imagino em vcs...
força, pq se nós , pessoas de bem, desistirmos nao nos restará mais nada...
Agradeça a Deus por nada pior ter acontecido e tenha mta força pra continuar sua luta!
bjao

Flávia disse...

Nossa Dinha, que horror, estou chocada. Graças a Deus as crianças não acordaram. Um de meus maiores medos é ser assaltada e as crianças estarem junto, pois esses loucos perdem o controle quando elas começam a chorar. Concordo plenamente contigo; tudo bem que com o tempo vcs adquirirão tudo novamente, mas chega a dar enjôos ter que dizer simplesmente isso, assim, tendo a certeza de que quem fez sairá ileso. É um absurdo ter que viver uma situação dessas, não me conformo de jeito nenhum.
Bom, apesar disso espero de coração que vc consiga superar o trauma e ter um 2008 tranquilo.
Beijos!

Alessandra disse...

Dinha,
Fiquei chocada com tamanha violencia e cinismo dos assaltantes !
Agradeço a Deus vocês estarem bem e que ele te reconforte do susto que tomaram.
Que 2008 traga de volta todos os bens que vocês perderam, junto com muita saúde pros meninos !
Beijos e saudades
Ale

PS. AMEEEEEEEI teu cartão, obrigada de coração !!!!!

Marlene M. disse...

O Dinha querida, eu sei como vc esta se sentindo, tbem ja tive minha casa invadida, sao uns crapulas , remexeram em todas as minhas gavetas , armarios , em tudo, levaram o que puderam e tbem a minha confiança nesse pais de faz de conta.
Fiquei cheia de odio e fui embora da minha casa , apesar de ter sido a tanto tempo, hoje sou uma pessoa desconfiada e revoltada com tudo e com todos.
Acho que so teremos soluçao pra essa vergonha nacional a hora que nos "o povo" soubermos votar e por pra dirigir esse pais gente digna e honesta , enquanto isso so nos resta rezar e pedir a Deus pra ele nos proteger porque ta dificil mesmo.
Bjusssss a toda sua familia e que Deus os proteja mais e mais.

Lili disse...

Dinha, minha querida, que horror passar por tudo isto!
Imagino o susto, a sensação de impotência, revolta e indignação.
Que Deus proteja você e toda sua família e que você consiga logo ter tudo de volta.
Beijos.

Jana disse...

Dinha querida, que bost@ !!!!
Nem sei o que dizer !!!!
Imagino o que vc deve estar pensando e passando !!!!
Força na peruca.
Bjo

Bárbara (motherns) disse...

ai Dinha, esperar o quê dessa sociedade?? É como vc falou, agradecer por estar todos bem e por eles não terem mexido com as crianças. Nossa vida e a vida das pessoas que a gente mais ama são os nossos maiores bem, e graças a Deus isso foi preservado.
Mas vc há de conseguir tudo o que eles levaram em dobro em 2008, e pode contar com minha ajuda!!
Beijos