segunda-feira, 16 de outubro de 2006

Eu consegui escapar

Eu comecei o Dia das Crianças triste. Pra variar, estava sem grana para comprar um presente para meus filhos. O Cainho ainda não entende, mas o Yuri tinha feito lista e tudo o mais... Daí que comecei no dia 11 mesmo, a enchê-los de beijos, reforçando o quanto os amo e o quanto eles são importantes na minha vida. Jantamos uma pizza, que o Yuri ama, numa prévia do feriado.

Dia 12, amanheci o dia saudando-os “Bom dia, príncipe amado da mãe! Feliz Dia das Crianças, meu anjo!” (o discurso foi o mesmo para ambos). Almoçamos na minha sogra e depois os levei à pracinha. E aí, estraguei seus dentes com muitas balas e chocolates. Cantamos suas músicas favoritas. E brincamos muito com os presentes que eles ganharam de amigos, dindos, tios. E eu pude perceber que, ao final do dia, eu tinha sido presenteada com várias risadas sinceras e gostosas.

Eu consegui escapar do consumismo do dia 12 e acho que pude mostrar a meus filhos que lhes dedico o que há de mais valioso: meu amor, meu tempo, minha vida. E ainda que eu não tenha lhes comprado nada em especial, pude sentir que foi um dia bem feliz em suas vidas.

3 comentários:

Roseh disse...

Dinha querida

O seu amor, seu tempo e sua dedicação é realmente o melhor que você pode oferecer aos seus filhos, e o melhor: é de grátis!
Eu também não pude dar nada pro meu pequeno, mas tento não ficar chateada com isso. E claro, compenso com muito beijinho!

Beijos pra vc e seus garotinhos!

Chris, mãe da Cecília disse...

Dinha, isso apenas reforça minha crença que o amor é o melhor presente que as nossas crianças podem ganhar!!!

Beijos grandes

Karin disse...

Dinha, como sempre me emociono com suas palavras...aqui acabei dando o presente antes pra eles, e no dia mesmo eles nem lembravam mais...e aí passeamos bastante, passamos o dia juntos brincando, foi ótimo. O presente? Está lá guardado no armário...
Beijo enorme,